Gestão orçamentária: 6 dicas para você não perder o controle das finanças da sua empresa

Gestão orçamentária: 6 dicas para você não perder o controle das finanças da sua empresa
Publicado em 05/04/2016 - Atualizado em 08/10/2020 | Planejamento Orçamentário

O mercado está em constante oscilação devido à crise econômica que o país está enfrentando e em decorrência ao caos que a política nacional se encontra. Porém, apesar de muitos empresários terem fechado as portas devido ao mau momento, outros começaram a utilizar ferramentas que estão auxiliando muitas companhias a atravessar esse período conturbado e ainda, fazendo com que as mesmas se preparem melhor para o que ainda está por vir.

A gestão orçamentária possibilita prever todos os custos da empresa, mensurando de forma eficiente as despesas como matéria prima, insumos, fornecedores, folha de pagamento, encargos, tributos e todos os fatores que podem impactar no fluxo de caixa. Quando não se tem um planejamento, a empresa fica vulnerável perante as oscilações do mercado e fatores internos ou externos, que podem ser negativas e causar sérios danos à contabilidade. A gestão orçamentária faz com que os gestores controlem os custos do ano e o impacto que eles terão no fluxo de caixa.

Listamos 6 dicas de suma importância para que as finanças fiquem sob o controle ao longo do ano:

 

Faça um planejamento financeiro detalhado

Pode parecer clichê, mas tem muitas empresas que falham na hora de desenvolver o planejamento financeiro da instituição. Isso acontece porque não há uma especificação detalhada do investimento que será realizado, nem de todas as despesas já previamente identificadas com base no ano anterior.Muitas vezes, gastos que são considerados irrisórios, causam um impacto não esperado no fluxo de caixa, pois os mesmos não foram calculados devidamente. Da mesma forma, aumentos de encargos tributários, variação de valores com fornecedores ou na matéria prima, despesas com RH e tantos outros gastos, podem e devem ser estimados com antecedência, para que a empresa tenha uma visão prévia de como será o ano no âmbito financeiro. 

 

Tenha um orçamento colaborativo

Antigamente, era comum que o orçamento anual da empresa fosse destinado de uma maneira macro pela diretoria ou presidência, aos demais setores da empresa. Hoje em dia, as instituições estão aderindo ao orçamento colaborativo ou orçamento descentralizado, como também é chamado. Nesse modelo, os setores ficam responsáveis por estipular os seus próprios orçamentos, estimulando o engajamento da equipe que participa de cada etapa do processo e fica mais empenhada em alcançar o objetivo final.Independente se o planejamento orçamentário será realizado para o próximo ano, como é mais comum na maioria das empresas, ou de acordo com sazonalidade para aqueles que atuam com a agricultura, o orçamento colaborativo tem se mostrado mais eficiente, já que os profissionais que trabalham diretamente naquele setor, podem estabelecer mais assertivamente os custos do mesmo e assim, contribuir para uma gestão orçamentária eficiente.

 

Faça projeção de cenários

Não é incomum ver empresas com severas crises financeiras, culparem a oscilação do mercado ou até mesmo a crise econômica por falhas na gestão orçamentária. Uma solução para ter uma previsão do orçamento, mesmo com a instabilidade na economia, é a projeção de cenários. Através de ferramentas que fazem o cruzamento de dados realizados com a estimativa de rendimento para o período atual, é possível desenvolver um forecast utilizando como base o histórico da empresa e a projeção do que se espera para os próximos meses.

 

Esteja atento as despesas de RH

Durante a crise, as empresas costumam evitar fazer contratações e muitas vezes, ainda enxugam o quadro, realizando as temidas demissões. Porém, há aquelas que estão contratando mesmo em um período de retração econômica.Em qualquer uma das duas situações, o impacto de tais decisões deve ser planejado e avaliado. Ambos afetarão o fluxo de caixa, visto que não é somente o salário e benefícios que compõe uma contratação. Assim, como uma demissão gera uma série de despesas à empresa e se ela não estiver preparada, pode deixar as finanças no vermelho. Há também outros encargos trabalhistas que devem ser acompanhados de perto, como férias, dissídio coletivo e bonificações, para que a sua gestão orçamentária esteja de acordo com o estipulado. Portanto, faça o planejamento de RH

 

Fluxo de caixa controlado

Pode até parecer obvio falar em fluxo de caixa controlado, visto que é essencial ter controle de tudo que entra ou sai do caixa de uma empresa. Porém, o que parece obvio, nem sempre é simples de se fazer. Todos os custos, sejam eles diretos ou indiretos, devem ser minunciosamente calculados desde uma simples caneta até despesas altas. Tudo deve ser registrado e contabilizado, para não haver surpresas desagradáveis lá na frente. Algumas vezes, a velha planilha financeira não dá conta do trabalho e apresenta falhas que podem comprometer e muito, a gestão orçamentária de uma empresa. É preciso estar atento constantemente aos dados ou até mesmo, escolher um software de gestão orçamentária que otimiza consideravelmente o processo. 

 

Analise os resultados através de indicadores de desempenho

Não tem como saber se está atingindo os objetivos, se não houver mensuração dos resultados obtidos. Há ferramentas digitais que fazem a análise dos dados, gerando gráficos e estatísticas, que auxiliam na tarefa de fazer um diagnóstico mais preciso da evolução da empresa. É importante determinar indicadores de desempenho e utilizá-los na hora de fazer a análise de performance e também tomadas de decisão. Assim, fica mais claro quais são os objetivos que deverão ser alcançados e como eles se estarão inseridos na sua gestão orçamentária.

Com essas dicas, é possível ter uma boa noção do que é necessário para ter uma gestão orçamentária eficiente e os passos que devem ser seguidos rumo a um planejamento financeiro assertivo.

Leia Também

Como o planejamento estratégico ajudou o Olist a expandir seus negócios em 2020

27/10/2020

Como o planejamento estratégico ajudou o Olist a expandir seus negócios em 2020

Crises, incertezas, flutuações na economia e até mudanças repentinas. Os altos e baixos fazem parte do ciclo de vida na gestão de empresas duradouras. E, se por um lado vemos algumas sucumbirem à pressão e às situações adversas, de outro vemos empresas que não apenas resistem às crises, mas se reestruturam e crescem diante delas. [Leia mais]

Ensino Superior: Como evitar erros ao planejar o orçamento de 2021?

20/10/2020

Ensino Superior: Como evitar erros ao planejar o orçamento de 2021?

Não há dúvidas que o setor educacional foi um dos mais afetados pela quarentena e o isolamento social, e o que teve que mais rapidamente se adaptar e buscar soluções. Os desafios foram muitos e os mais resilientes foram os que avançaram na transformação digital de suas instituições. [Leia mais]

Fluxo de caixa: direto versus indireto. Qual é a melhor escolha para o seu negócio?

28/09/2020

Fluxo de caixa: direto versus indireto. Qual é a melhor escolha para o seu negócio?

a Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC) é um dos mais importantes instrumentos de análise financeira de uma empresa moderna. Nela, ficam evidentes as principais alterações ocorridas ao longo de determinado período no caixa e no equivalente de caixa. Esses dados permitem que gestores e decisores identifiquem tendências precocemente e ajam com rapidez quando necessário. [Leia mais]

Sobre a Allstrategy

A AllStrategy possui uma vasta experiência em transformar a gestão orçamentária de diversas empresas. No blog, reunimos o melhor conteúdo, com artigos exclusivos, que farão parte do seu dia a dia.