O que considerar ao planejar o crescimento da empresa com investimentos?

O que considerar ao planejar o crescimento da empresa com investimentos?
Publicado em 15/06/2021 - Atualizado em 15/06/2021 | Planejamento Orçamentário

Não adianta, não há como projetar o crescimento e melhorar os rendimentos de uma empresa sem fazer um planejamento financeiro. Afinal, toda ideia bem-sucedida parte de um plano bem-feito, no qual são avaliados os cenários e seus possíveis riscos.

Do mesmo modo, sem um planejamento efetivo, seus investimentos podem ser menos rentáveis e mais arriscados. Por isso, é importante ter atenção aos detalhes e não deixar nada de fora.

Esse artigo tem o objetivo de mostrar alguns caminhos para planejar sem erros o crescimento da sua empresa por meio de investimentos. Continue a leitura e entenda também por que, nessas horas, contar com um software para planejamento orçamentário pode fazer a diferença.

 

Por que planejar investimentos com antecedência?

Algumas empresas fazem investimentos apenas quando precisam resolver uma situação específica, como a reposição de uma máquina com defeito, por exemplo. No entanto, o ideal é que elas o façam de forma planejada, de modo a não onerar o caixa do negócio. Ou seja, ter um plano já montado para quando acontece esse tipo de situação. 

Assim, a corporação pode se programar com antecedência para despesas com materiais, mobiliário, reforma de estrutura, abertura e fechamento de lojas ou filiais. E, para que tudo saia como o planejado, é preciso analisar uma série de indicadores que ajudarão a calcular se a aplicação dos recursos realmente faz sentido para a realidade do negócio. 

A seguir, veja os principais indicadores para fazer o diagnóstico da atual situação econômica da empresa.

 

Quais elementos podem ajudar a medir a eficiência de investimentos?

Bom, o que vimos até aqui é que não basta apenas realizar os investimentos. É necessário também verificar a viabilidade deles, ou seja, a mensuração dos resultados que eles podem oferecer. Então, antes de investir de fato, existem três pontos importantes para serem considerados:

 

  1. Entenda o cenário atual da empresa
    Verifique, por exemplo, o faturamento, contas a pagar e a receber, capacidade produtiva, gasto com mão-de-obra e lucratividade do negócio. Para isso, a equipe pode utilizar na avaliação o Demonstrativo de Resultado do Exercício (DRE). Assim, é possível identificar como está a movimentação do dinheiro, bem como de que forma ele está sendo alocado. Clique aqui e saiba mais sobre o uso da DRE como instrumento de gestão
  2. Preveja o futuro do negócio
    Para um planejamento orçamentário assertivo, é necessário realizar a projeção de fluxo de caixa a fim de sinalizar todas as despesas ao longo do ano e preparar a empresa para o período. O fluxo de caixa projetado possibilita o planejamento de folha de pagamento e vendas, além de permitir a criação de modelos de despesas e receitas. Dessa forma, nenhum custo sobrecarrega o caixa da companhia de forma inesperada. Neste link você confere como é feito e os principais benefícios do fluxo de caixa projetado.
  3. Conheça seus custos
    Para que o investimento não acabe comprometendo seu capital de giro, a corporação precisa saber quais são os recursos consumidos e quanto custa para que a empresa produza ou preste um serviço. Pois, além do valor gasto, é preciso levar em consideração sua depreciação, que pode ser total ou residual. Essas informações devem constar no Balanço Patrimonial, considerado uma das mais importantes ferramentas de análise gerencial da situação do negócio. Leia mais sobre o BP neste artigo dedicado a este assunto.

 

Como um software pode facilitar no processo de decisão?

Hoje, com o avanço da tecnologia, existem ferramentas de planejamento estratégico que trazem mais praticidade a todo esse processo. Os softwares mais completos contam, inclusive, com módulos dedicados aos investimentos, de modo que seu impacto seja visto no fluxo de caixa, no balanço patrimonial e na DRE, citados acima.

Como resultado, ao incluir esses valores no planejamento orçamentário de forma automatizada, a empresa garantirá que as metas estabelecidas sejam alcançadas, pois o investimento já está contabilizado no orçamento do ano. Ou seja, não causará nenhuma repercussão surpresa nas finanças. 

Trata-se de um investimento que tem trazido retorno positivo àquelas que desejam controlar as finanças e melhorar o rendimento e a lucratividade da instituição. Por isso, pesquise sobre as melhores ferramentas disponíveis no mercado. Leia também: 4 benefícios da automação da gestão orçamentária.

Leia Também

Gestão 5.0: a nova realidade das empresas

10/05/2022

Gestão 5.0: a nova realidade das empresas

A gestão 5.0 surge para acompanhar os avanços tecnológicos já implementados pela Indústria 4.0 e as demandas da sociedade em estar mais conectada. [Leia mais]

O que é DFC e por que aderir na gestão da sua empresa

26/04/2022

O que é DFC e por que aderir na gestão da sua empresa

O DFC é um relatório é responsável por apontar a aplicação dos recursos financeiros da organização e outros dados importantes. [Leia mais]

ESG na visão do cliente

18/04/2022

ESG na visão do cliente

Além da qualidade e preço, atualmente o consumidor busca por empresas que atendam não somente suas demandas diretas, mas também suas expectativas perante questões que se relacionam a outros aspectos - o ESG é um exemplo. [Leia mais]

Sobre a Allstrategy

A AllStrategy possui uma vasta experiência em transformar a gestão orçamentária de diversas empresas. No blog, reunimos o melhor conteúdo, com artigos exclusivos, que farão parte do seu dia a dia.