Blog, Tesouraria

Como a reserva de lucros protege seu caixa

Como a reserva de lucros protege seu caixa

A reserva de lucros é um elemento importante da gestão financeira de um negócio, além de ser uma estratégia poderosa para proteger o caixa da empresa. A partir desta reserva, é possível evitar prejuízos que possam ocorrer devido a situações imprevistas ou crises econômicas, por exemplo.

Além disso, torna-se uma ferramenta essencial na qual a organização pode confiar e se apoiar para não ser pega de surpresa por adversidades e enfrente os desafios do mercado. Sendo assim, é uma forma de garantir a continuidade e o desenvolvimento dos negócios.

Neste artigo, você entenderá o que é a reserva de lucros, seus tipos e finalidades. Ainda, poderá compreender como proteger seu caixa a partir deste recurso, bem como a importância que ela exerce na gestão de tesouraria.

Software Alstrategy Fluxo

O que é reserva de lucros?

Primeiramente, a reserva de lucros corresponde à parte do patrimônio líquido de um negócio, separada para fins específicos. É composta pelos lucros obtidos pela empresa e seu uso pode ter os mais variados objetivos: desde o reinvestimento no próprio negócio até o pagamento de dividendos a acionistas – por exemplo.

Entretanto, deve-se destacar que a reserva não é um recurso monetário disponível a qualquer momento na empresa ou distribuída para os acionistas sem aprovação prévia. Como também está no fluxo de caixa, sua gestão é essencial para garantir que a empresa tenha recursos suficientes para o seu crescimento.

Tipos de reserva de lucros

Existem diferentes tipos de reservas de lucros que podem ser formadas pelas organizações. Cada uma delas terá um objetivo específico para o investimento dos recursos.

Confira quais são elas:

  1. Reserva legal: obrigatória e com montante definido por lei, a reserva legal deve ser formada a partir dos lucros da empresa, visando cobrir possíveis perdas no futuro;
  2. Reserva de capital: formada a partir do próprio capital da empresa, é uma reserva destinada ao aumento do patrimônio líquido da organização, para melhorar a posição financeira da empresa e aumentar a confiança dos stakeholders;
  3. Reserva estatutária: reserva opcional e o seu montante deve ser definido em assembleia-geral da empresa, com fins definidos na própria reunião;
  4. Reserva de contingência: criada para cobrir eventuais perdas ou gastos imprevistos, a reserva de contingência também pode ser usada para cobrir outras despesas repentinas, como processos judiciais, etc;
  5. Reserva de reavaliação: criada com o objetivo de reavaliação dos ativos imobilizados e corrigir eventuais desvalorizações dos ativos, refletindo o valor atual no balanço patrimonial.

Como proteger o caixa com reserva de lucros

O caixa é essencial para a saúde financeira de uma empresa, portanto, utilizar a reserva de lucros para garantir sua estabilidade é um movimento estratégico para o desenvolvimento de todo o negócio.

Uma vez que a reserva está atrelada ao lucro líquido, o fluxo de caixa é impactado diretamente. Então, como proteger o seu caixa? Separamos algumas dicas:

  • Poupança priorizada: destinar parte do lucro líquido para a reserva de lucros a cada período ajuda a garantir que a reserva se mantenha em constante crescimento, sendo usada quando houver necessidade;
  • Metas de reserva: estabelecer metas financeiras para a sua reserva ajuda a definir qual o montante e tempo necessário para alcançá-lo, para acompanhar o progresso das suas economias e realizando ajustes, caso seja preciso;
  • Separe a reserva de lucros do seu caixa: organizar a reserva em uma conta separada do caixa evita que os recursos sejam confundidos e usados em momentos desnecessários;
  • Diversifique as fontes de renda: para os negócios, ter mais de uma fonte de renda é essencial para a empresa ter estabilidade e manter sua reserva;
  • Use as reservas com sabedoria: procure não utilizar a reserva para despesas que podem ser evitadas (ou melhor organizadas) ou de baixa prioridade para o negócio, guardando para momentos estratégicos.

A importância da gestão de tesouraria

A gestão de tesouraria é vital para a gestão orçamentária, além de desempenhar a estratégia de gerenciamento do fluxo de caixa e uso dos recursos financeiros. Neste sentido, sua importância atravessa diversos aspectos do negócio, como o controle do fluxo, maior eficiência financeira, etc.

Entretanto, sua relevância vai além desses aspectos ao impactar ativamente em questões de risco financeiro — por exemplo. Nesse sentido, a reserva de lucro deve ser uma prioridade da gestão de tesouraria.

Ademais, a partir de uma gestão de tesouraria ativa e eficiente, é possível diminuir os riscos, principalmente em momentos de previsão de fluxo de caixa futuro e outras possíveis contingências. Sendo assim, a gestão de tesouraria é uma peça importante para o processo de tomada de decisão dos gestores, por fornecer insumos indispensáveis para direcionar as ações de maneira estratégica.

Otimize sua tesouraria

Pode-se concluir que a reserva de lucros permite que as empresas consigam enfrentar eventuais desafios que possam prejudicar/impactar o planejamento financeiro.

Afinal, é possível utilizar a reserva para garantir o funcionamento do negócio e a fluidez do caixa, principalmente em caso de necessidades — sendo assim, sem recorrer a empréstimos ou outros meios (que possam causar endividamento).

Portanto, contar com um recurso tecnológico que auxilia a ter mais visibilidade das movimentações financeiras e seus impactos é um excelente plano que pode ser estrategicamente aplicado aos negócios. Para isso, conheça o AllStrategy Fluxo, uma solução AllStrategy para seu fluxo de caixa.

Software Alstrategy Fluxo

GOSTOU? COMPARTILHE ESTE ARTIGO!
Tags: controladoria, Fluxo, fluxo de caixa, tesouraria
2023 AllStrategy. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Fresh Lab - Inteligência em Marketing Digital