Blog, Controladoria

Forecast: Como e por que usar no processo decisório

Forecast: Como e por que usar no processo decisório

Tomar decisões na empresa com base em opiniões e “achismos” são péssimas formas de se conduzir um negócio. Embora muitos gestores tenham consciência disso, é exatamente o que fazem, geralmente por não possuírem dados suficientes e não utilizarem o recurso do forecast na gestão.

Esse processo permite revisar o orçamento e seus resultados, entendendo se o que foi planejado está de acordo com o esperado. Acompanhar os números é importante para garantir o bom andamento da gestão empresarial.

Empresas de todos os tamanhos e segmentos podem usar o forecast, porém muitos gestores desconhecem essa metodologia ou não sabem como realizá-la de forma prática e efetiva.

Nesse artigo, vamos entender melhor o conceito de forecast e como sua aplicação traz diversos benefícios para a empresa, em especial para as tomadas de decisão.

Software Alstrategy Fluxo

O que é forecast?

Forecast, literalmente, significa previsão. Trata-se de um método que usa dados históricos somado ao que se tem planejado para, a partir disso, identificar padrões e fazer estimativas.

O objetivo principal é prever a direção de tendências na empresa e, dessa forma, tomar decisões mais assertivas, além de potencializar a possibilidade de ajustar as estratégias de forma que traga vantagens para a companhia.

Por exemplo: as empresas realizam em abril a análise do forecast do 1º trimestre. Neste momento, é observada a DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) com dados realizados efetivamente até março.

A partir disso, é possível prever como o será o restante do ano se forem mantidos os planos originais. Isso traz respostas importantes sobre o andamento da gestão e a necessidade de revisão orçamentária.

Em outras palavras, independentemente do tamanho e do segmento em que o negócio está inserido, o forecast pode ser utilizado como base para planejar como o orçamento será alocado.

Com isso, pode ser possível antecipar despesas dentro de um determinado período e projetar a demanda futura de bens e/ou serviços oferecidos, ajustando as estratégias para atingir as metas.

Como usar o forecast na gestão

Podemos ver aplicação de forecast em quase todas as áreas, como: financeiro, RH, vendas e gerenciamento da produção. Isso porque quanto mais certeiras forem as previsões, mais eficaz será o planejamento.

Como consequência, melhor será o aproveitamento dos recursos da empresa e retorno financeiro. Assim, o forecast dá ao gestor a oportunidade de desenvolver estratégias de negócios melhores e de influenciar variáveis futuras em benefício da empresa.

Ao acompanhar os resultados dos negócios com relativa frequência, os gestores também evitam que problemas sejam descobertos após muito tempo, dificultando sua resolução.

Outro ponto é que oportunidades podem ser aproveitadas ao revisar o orçamento e identificar situações que sejam benéficas para a gestão.

Diferenças entre modelos qualitativos e quantitativos

De forma geral, é possível realizar o forecast através de dois métodos: quantitativo e qualitativo, sendo que ambos seguem o mesmo processo.

Primeiro, o problema ou evento a ser previsto é identificado — por exemplo: qual será o volume de vendas do produto X no primeiro semestre do próximo ano?

Em seguida, determina-se quais variáveis são relevantes para essa previsão e como os dados serão coletados. Então, o analista escolhe o modelo a ser utilizado.

Depois, os dados são analisados e as tendências são estimadas para finalmente verificar se a previsão de fato se concretiza e são feitos os ajustes necessários nas variáveis e análises.

É mais comum o uso de técnicas qualitativas, porém elas nem sempre são as ideais. Além desses modelos, também há uma terceira possibilidade, que traz uma combinação do qualitativo e do quantitativo. Entenda:

Modelos Qualitativos

Os modelos qualitativos são também chamados de “modelos orientados por especialistas”. Esses métodos de forecast se valem do parecer de um ou mais agentes e/ou especialistas de mercado, ou ainda de um consenso do mercado como um todo para orientar a estratégia.

Modelos qualitativos abrangem:

  • Pesquisa de Mercado: uma grande amostra de pessoas é consultada a fim de prever a demanda de um produto/serviço específico antes de lançá-lo.
  • Método Delphi: Diversos especialistas são consultados e as opiniões deles são compiladas em uma previsão.

Modelos qualitativos costumam ser assertivos para previsões de curto e curtíssimo prazo, porém quando se trata de horizontes de tempo maiores, a previsão torna-se limitada, pois carece de dados mensuráveis.

Modelos Quantitativos

Por outro lado, os modelos quantitativos levam em conta dados, médias e séries históricas. Assim, eles incluem:

  • Abordagem do indicador: analisa a relação entre dois ou mais indicadores financeiros, ou de produtividade ao longo de determinado período. Com base na relação observada entre as variáveis, o comportamento futuro é estimado.
  • Modelagem econométrica: é uma técnica matematicamente mais apurada. Ao invés de assumir que a relação entre as variáveis permanecerá a mesma, a modelagem econométrica testa a consistência dos conjuntos de dados e a influência que exercem uns sobre os outros. É utilizada com mais frequência no meio acadêmico, como maneira de avaliar políticas macroeconômicas.
  • Séries temporais: metodologias de séries temporais utilizam dados passados para estimar eventos futuros. A diferença está no peso de cada indicador. Por exemplo, pode-se atribuir mais importância aos dados mais recentes ou excluir pontos díspares da análise. É a metodologia mais adaptável – e por isso mais comum — à previsão de negócios. Tem baixo custo e bom desempenho.

Ajuste sua gestão orçamentária

O forecast só faz sentido de ser executado se estiver atrelado ao planejamento orçamentário da empresa. Para que seja eficiente, o ideal é que a gestão financeira da instituição seja automatizada e otimizada, garantindo a segurança e confiabilidade dos dados.

Assim, é possível realizar o forecast e o planejamento orçamentário em planilhas, mas nem sempre o resultado é o esperado, pois o processo como um todo se torna muito longo e suscetível a erros.

Ao investir em uma ferramenta de gestão orçamentária, sua empresa só tem a ganhar, pois os fluxos de trabalho e de dados se tornam mais eficientes, as respostas são encontradas com mais rapidez e os números são mais confiáveis.

Grandes empresas prezam por boas práticas de gestão e softwares de planejamento orçamentário fornecem o ambiente ideal para seu desenvolvimento.

O Software Plano é a solução mais completa do mercado, oferecendo diversos recursos para a gestão da empresa, do planejamento de RH à criação de cenários econômicos.

Previsões certeiras são essenciais para o planejamento

Independentemente do tipo de previsão que você usa, você pode aproveitar os insights para validar se está na trajetória certa e ajustar suas decisões de acordo.

O forecast ajuda a mitigar o risco e a incerteza quando combinada com o planejamento de cenários. Seu principal objetivo é apoiar a análise de resultados da empresa e mantê-la no caminho determinado.

Quando feito de forma adequada, baseando-se em dados corretos, o forecast possibilita que a empresa ajuste suas estratégias e planeje com antecedência onde o orçamento será alocado. Isso definitivamente a torna mais competitiva.

Porém, é importante ressaltar que dados errados podem culminar em previsões incoerentes. Então, é importante ter em mãos as ferramentas necessárias para dar suporte à coleta e análise de dados e ao processo decisório como um todo.

Software Alstrategy Plano

GOSTOU? COMPARTILHE ESTE ARTIGO!
Tags: controladoria, Gestão Orçamentária, Planejamento Orçamentário, tesouraria

Blog mais lidos