Blog, Gestão Empresarial

Diagrama de Ishikawa: o que é e como utilizar na sua empresa

Já dizia a sabedoria popular que “errar é humano”, certo? E isso inclui sua empresa, não importa se é de pequeno, médio ou grande porte. Por menos processos que existam, em algum momento, provavelmente falhas irão ocorrer.

As consequências disso são inúmeras e, como resultado, podem afetar a rotina, diminuir a produtividade e comprometer o faturamento, entre outros. Então como proceder para minimizar esses problemas e resolvê-los com rapidez e assertividade?

Existem algumas metodologias que podem apoiar esse processo, como o Diagrama de Ishikawa. Ao aliar o método ao planejamento estratégico da empresa, os resultados podem ser potencializados.

Neste artigo, vamos abordar estratégia, sua aplicação e como montar o Diagrama na sua empresa. Acompanhe.

O que é Diagrama de Ishikawa?

O Diagrama de Ishikawa – também conhecido como diagrama Espinha de Peixe, diagrama de Causa e Efeito ou diagrama 6M – é uma ferramenta visual bastante utilizada no meio empresarial.

Seu principal objetivo é ajudar a equipe a chegar nas causas reais dos problemas que acometem nos processos organizacionais de uma empresa, pois é uma ferramenta de análise.

O diagrama foi criado na década de 1940 pelo engenheiro químico japonês Kaoru Ishikawa e é muito utilizado por indústrias, embora seu uso não se restrinja a esse segmento de mercado.

Por que usar o Diagrama de Ishikawa na empresa?

Processo bastante útil para solucionar problemas, conforme citamos acima, o Diagrama de Ishikawa também pode ser usado na busca por melhoria de processos, fazendo com que eles funcionem de forma ainda mais otimizada na empresa.

Além de ter fácil entendimento e possibilitar a análise da raiz dos problemas internos da empresa, o Diagrama de Ishikawa também possui outras vantagens:

  • Promove o envolvimento e o comprometimento dos colaboradores na melhoria dos processos;
  • Pode ser utilizado como uma ferramenta estatística para o controle total da qualidade;
  • Permite uma análise com alto nível de detalhes, ajudando a tomar decisões mais eficazes;
  • Possui uma estrutura flexível, sendo aplicável a problemas das mais diversas naturezas.

Agora que você já sabe as utilidades dessa ferramenta, que tal aprender como aplicá-la?

Como montar o Diagrama de Ishikawa

O diagrama parte do princípio de que, ao resolver as causas, o problema também será resolvido. Dessa forma, o seu uso facilita a identificação e análise dos problemas, servindo como um norte para o planejamento estratégico de uma solução.

Sendo assim, para iniciar seu diagrama é importante estar ciente que ele é composto visualmente pelo problema que se quer analisar e seis divisões que seriam as causas dos problemas, todas iniciadas pela letra M:

  • Método: como a forma como o trabalho é desenvolvido influencia o problema?
  • Material: como os tipos e qualidade dos materiais influenciam o problema?
  • Mão de obra: como as pessoas envolvidas na atividade influenciam no problema?
  • Máquinas: como os equipamentos utilizados influenciam o problema?
  • Medidas: como as métricas acompanhadas influenciam o problema?
  • Meio ambiente: como o meio em que a atividade é desenvolvida influencia o problema?

Em suma, para montar o diagrama, primeiramente você precisa escrever qual é o problema que sua empresa enfrenta. Ele ficará ao final do desenho, como se fosse a cabeça do peixe, conforme mostramos no esquema abaixo.

E quando falamos em problema, eles podem ser os mais diversos e em empresas de todos os segmentos. Seu objetivo, sobretudo, é entender as causas de quaisquer empecilhos que estejam prejudicando os resultados.

Alguns exemplos de problemas analisados com o Diagrama de Causa e Efeito: atendimento ao cliente, atraso de entregas, produtos com defeitos, equipe desmotivada, altas demandas etc.

Após escrever o problema, trace uma linha reta para a esquerda da escrita e faça seis ramificações, sendo uma para cada divisão do diagrama – os 6 Ms, conforme apontado acima. Em seguida, a equipe deve analisar de que forma esses fatores podem ter contribuído para o resultado indesejado.

O diagrama, então, fica com a aparência de uma “espinha de peixe”, conforme ilustrado nesse modelo:

Como aplicar o Diagrama de Ishikawa?

Ao constatar um problema e optar por aplicar o Diagrama 6M, é preciso fazer alguns questionamentos e anotar em cada etapa do diagrama os insights encontrados.

Método

Neste momento, a equipe deve listar todas as possíveis causas que podem estar causando o problema.

Aqui são discutidas as formas como os processos são conduzidos, o que inclui ferramentas, softwares e fluxos de trabalho.

Material

Esta é a etapa de avaliar os insumos utilizados durante os processos e que podem ter interferido para causar os problemas.

Os questionamentos podem variar desde a quantidade usada no processo até sua qualidade e procedência.

Mão de obra

O processo aqui deve ser avaliado sob a perspectiva das pessoas envolvidas com pontos que podem ter gerado o problema.

Considera-se suas experiências, habilidades, formação da equipe e atitude dos colaboradores.

Máquinas

Este é o momento de avaliar o maquinário utilizado nos processos e entender se de alguma forma pode ter causado o problema.

Por exemplo, falta de manutenção, programas obsoletos, servidores instáveis etc podem ser levantados nesta etapa.

Medidas

Aqui são analisadas as métricas utilizadas para medir o progresso dos processos. A forma como os dados são mensurados ou os indicadores levantados são os corretos?

Algum problema pode ter sido causado por informações incorretas ou falta de dados relevantes? É isso que deve ser analisado nesta etapa.

Meio ambiente

Neste ponto não é apenas a questão ambiental, propriamente dita, que será avaliada, mas todo o entorno do processo, que pode afetá-lo.

Alta ou baixa nas chuvas podem gerar problemas, bem como o ambiente relacional dentro da empresa. Ou seja, tudo deve ser considerado no Diagrama de Ishikawa.

Software Alstrategy Plano

Dicas para o seu diagrama

Lembre-se que esse diagrama não deve ser feito sozinho, por apenas uma pessoa. Logo, é saudável buscar opiniões de colaboradores envolvidos direta e indiretamente no problema para que eles também contribuam com ideias.

Dessa forma, o problema pode acabar tendo mais causas do que você imaginaria inicialmente. Outra dica importante é que todas as informações sejam baseadas em fatos e dados.

Nesse processo, os achismos não têm vez e as informações apontadas precisam estar baseadas na realidade. Uma forma de assegurar que os dados levantados para a elaboração do diagrama são precisos e corretos é utilizando um software de gestão orçamentária e planejamento estratégico.

Isso porque a ferramenta traz todas as informações e indicadores de performance de modo organizado e atualizado em tempo real.

Assim, se um KPI estiver fora do esperado, o diagrama pode auxiliar em sua identificação e correção, trazendo mais benefícios para a empresa.

Resolva problemas com mais agilidade

Algumas situações na empresa não podem esperar, porém para que sejam de fato resolvidas, é preciso identificar a causa dos problemas. Para isto, o Diagrama de Ishikawa é uma alternativa prática e eficiente.

Para que essa análise de causas seja realizada, o ideal é ter um software de gestão orçamentária, que traga os principais números da empresa e facilite a visualização dos dados em poucos cliques.

O AllStrategy Plano é o software de planejamento orçamentário mais completo do mercado e permite aos gestores projetar e acompanhar suas finanças, detalhando os números de forma integrada com as estratégias. Conheça mais sobre o software.

GOSTOU? COMPARTILHE ESTE ARTIGO!
Tags: Gestão Orçamentária, planejamento estratégico, planejamento financeiro, Planejamento Orçamentário

Blog mais lidos