Aplicação de OKRs e BSCs na Gestão Empresarial

Para o crescimento e desenvolvimento de uma empresa, é preciso estabelecer estratégias para atingir metas e objetivos. Existem diversas ferramentas e metodologias que podem ser utilizadas para apoiar esse processo, como OKR e BSC.

E tão importante quanto conhecer os conceitos é saber como aplica-los no seu negócio, de modo que as metas sejam alcançadas e a companhia continue a crescer e se desenvolver.

Nesse artigo, vamos abordar os conceitos de OKR (objetivos e resultados-chave) e BSC, uma metodologia para uma visão mais abrangente das estratégias. Acompanhe até o final e saiba como utilizá-los na sua gestão.

 

O que são OKRs?

A sigla OKR vem do inglês Objectives and Key Results e podemos traduzi-la como Objetivos e Resultados-chave. Esses dois conceitos (objetivos e resultados) são fundamentais para orientar as ações da empresa, direcionando as estratégias para o que é esperado.

Os objetivos determinam o que o negócio deseja alcançar. São as metas estabelecidas que, quando atingidas, levam a empresa a crescer e se destacar no mercado.

Já os resultados-chave mostram como mensurar seu progresso rumo aos objetivos. São como marcos ao longo do caminho e, ao serem alcançados, indicam se a meta será atingida no final.

O OKR é uma metodologia muito eficaz e já consolidada no mercado, surgindo na década de 1970, com Andrew Grove, então diretor da Intel. Nesse período, a empresa estava em franca concorrência com outras companhias e o executivo estabeleceu objetivos para conseguir dominar o mercado com seus produtos. Mas sua disseminação aconteceu apenas em 1999, com John Doerr, na época trabalhando no Google.

 

Vantagens em utilizar OKR na gestão

Empresas que aplicam os OKRs em suas operações tendem a ter ótimos resultados, pois tornam as metas claras e determinam as ações que devem ser tomadas para atingi-las. Além disso, existem outras vantagens de sua utilização:

  • Favorece o desenvolvimento da empresa: quando a empresa sabe aonde quer chegar, pode contar com os OKRs para ajudar no caminho até as metas. Assim, evita que ações e decisões sejam tomadas sem trazer algum benefício para a gestão.
  • Alinha estrategicamente as equipes: com objetivos bem definidos, todos os colaboradores e gestores saberão o que precisa ser feito para alcançá-los. Assim, os projetos desenvolvidos também serão orientados para o atingimento das metas, tornando o trabalho de todos mais eficiente e produtivo.
  • Favorece a comunicação: como todos têm o mesmo objetivo, a comunicação é facilitada porque todos entendem que as ações são realizadas para atingir as metas.
  • Melhora o desempenho dos colaboradores: por saberem quais objetivos devem ser atingidos, os colaboradores trabalham de forma mais direcionada, com menos estresse e, assim, conseguem atingir melhores resultados em suas funções, contribuindo também para o crescimento da empresa.

 

Como definir OKRs?

Para estabelecer objetivos factíveis para a empresa, é interessante seguir alguns passos para determinar os OKRs do negócio:

  • Defina metas de cima para baixo: estabeleça as metas para a empresa e depois desdobre os objetivos para as áreas, de acordo com sua participação na estratégia. Por exemplo, a meta inicial envolve o faturamento da empresa, depois os gestores estabelecem metas de vendas, de retenção de clientes, de geração de demanda etc.
  • Tenha clareza nos objetivos: é preciso ter bem definido o que se espera alcançar para que não seja uma estratégia vaga, dificultando seu atingimento. Por exemplo, colocar como OKR “capacitar o time de suporte” é muito amplo; um objetivo mais eficaz seria “capacitar o time de suporte com o curso X até o final do trimestre”.
  • Usar números: os números trazem clareza para os objetivos, definindo mais especificamente alguns pontos. Porém, é preciso cuidar para ser realista e não estabelecer quantidades inalcançáveis em determinado período. Digamos que a empresa deseje aumentar o faturamento, ao colocar o valor esperado ou a porcentagem de crescimento, o objetivo fica mais palpável.
  • Seja audacioso: é importante pensar em metas ousadas, que levem a empresa a crescer, mas se os objetivos forem irreais, a equipe se sentirá desmotivada por não atingi-los e o crescimento dos negócios ficará comprometido.
  • Trabalhe com ciclos curtos (trimestrais): ter metas para períodos menores ajuda a ter maior controle sobre seu atingimento e evita que os objetivos sejam esquecidos ou não trabalhados. Os ciclos mais curtos também facilitam a revisão os objetivos, para entender se ainda fazem sentido para a organização e qual o progresso das metas.

Vale lembrar que para tomar qualquer decisão, ter dados confiáveis é de extrema importância, pois eles orientarão os gestores sobre o que deve ser feito, trazendo uma visão mais completa da situação da companhia e do mercado.

 

Qual o ciclo dos OKRs?

Agora que você já sabe como estabelece um OKR eficiente e compatível com sua realidade, vamos falar sobre o ciclo de ações que envolvem esses objetivos:

  1. Definição dos OKRs: estabelecer os objetivos a serem alcançados e quais são os resultados-chave importantes, definindo as métricas de acompanhamento.
  2. Alinhamento estratégico: com os OKRs definidos, é hora de deixar toda a empresa, ou os envolvidos, cientes das metas, para que todos saibam a direção em que estão indo.
  3. Check-in (reflexões e insights): é o momento de colocar as ações em prática, para alcançar os objetivos estabelecidos.
  4. Aprendizados e ajustes: nessa etapa, é interessante analisar o progresso dos objetivos e, se for preciso, realizar algum ajuste para que as metas sejam realmente alcançadas.
  5. Criação de valor: é o benefício concreto que o OKR trouxe para a empresa após determinado período. Como nem todo objetivo precisa ser financeiro, é possível gerar valor em outros aspectos, desde que sejam relevantes para a instituição.

 

O que é Balanced Scorecard (BSC)?

O Balanced Scorecard (BSC), ou indicadores balanceados de desempenho, é um conjunto de objetivos que traz uma visão rápida e ampla da estratégia da empresa. Funciona como um painel de controle, que permite acompanhar os objetivos e seu desenvolvimento.

O BSC surgiu na década de 1990, pelos professores de Harvard Kaplan e Norton, em um artigo que oferecia uma visão mais ampla e geral os objetivos da empresa.

 

Como funciona o BSC?

O Balanced Scorecard é baseado em 4 pilares, que são chamados de perspectivas do BSC:

  • Perspectiva financeira: analisa o impacto das decisões estratégicas na empresa a partir dos objetivos estabelecidos, além de determinar as metas financeiras, ou seja, o que a empresa deseja alcançar a médio e longo prazo.
  • Perspectiva de clientes: envolve a satisfação do cliente, sua lucratividade, retenção e a aquisição realizada de cada consumidor. Ou seja, são ações realizadas para desenvolver um relacionamento com os clientes, de modo a conhecer suas necessidades, procurar atende-las e alcançar novos consumidores.
  • Perspectiva de processos internos: está relacionada às ações realizadas internamente, mas que impactam tanto para os clientes quanto para o crescimento dos negócios. Algumas áreas envolvidas aqui são o pós-venda, a inovação, operações de backoffice
  • Perspectiva de aprendizado e crescimento: está ligada ao desenvolvimento dos colaboradores e os conhecimentos necessários para o atingimento das metas da empresa. Pessoas são a base dos negócios, por isso tanto as competências técnicas, quanto sua experiência e sua satisfação na empresa são importantes para o desenvolvimento dos negócios.

 

Para a implementação do BSC, alguns aspectos podem ser utilizados:

  1. Mapa estratégico: é uma forma de representação visual do BSC, para facilitar seu entendimento.
  2. Objetivo estratégico: o que será alcançado pela empresa, pensando em um período maior, como médio e longo prazo.
  3. Indicadores: formas de medir o atingimento das perspectivas e objetivos, entendendo se existe progresso e desenvolvimento da empresa nos pontos estabelecidos.
  4. Metas: são marcos na jornada até o atingimento do objetivo estratégico da empresa.
  5. Plano de ação: um conjunto de iniciativas estratégicas para apoiar a busca dos objetivos. Nesse caso, as atividades são definidas com prazos e responsáveis, para garantir sua resolução.

 

Quais os benefícios do BSC na gestão?

Aplicar o Balanced Scorecard na empresa traz mais clareza sobre os caminhos a serem tomados pela companhia para chegar ao ponto desejado. Além disso, podemos destacar outras vantagens do BSC:

  • Melhor visualização do futuro
  • Melhoria de resultados
  • Monitoramento, medição e direcionamento de ações
  • Melhoria contínua da qualidade e desempenho
  • Estimula a cultura do aprendizado
  • Favorece a comunicação e feedback entre as equipes

Alguns benefícios do BSC são similares às vantagens dos OKRs, pois as duas metodologias visam estabelecer metas para o crescimento dos negócios. A aplicação de ambas potencializará os resultados alcançados.

 

Tenha uma gestão financeira mais estratégica

Para o crescimento e desenvolvimento dos negócios, é preciso ter metas e objetivos bem estabelecidos, para que os gestores e colaboradores saibam para onde ir e o que fazer no seu trabalho.

Como formas de apoiar a gestão, as metodologias de OKR e BSC podem ser aplicadas, trazendo mais clareza sobre os objetivos e o que será realizado para alcança-los.

Para tornar o processo estratégico alinhado com o orçamento, visualizando o impacto que cada ação gera nas finanças, o AllStrategy Plano é o software mais indicado, pois proporciona uma visão clara e ampla da situação da empresa. Conheça o que mais o Plano pode fazer pelo seu negócio.

 

GOSTOU? COMPARTILHE ESTE ARTIGO!
Tags:
2023 AllStrategy. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Fresh Lab - Inteligência em Marketing Digital