Balanço patrimonial: analisando a situação financeira da empresa

Balanço patrimonial: analisando a situação financeira da empresa
Publicado em 09/03/2021 - Atualizado em 24/03/2021 | Planejamento Orçamentário

Além de ser uma exigência legal, o Balanço Patrimonial (BP) é uma das mais importantes ferramentas de análise gerencial da situação do negócio. Por isso, para os profissionais de controladoria e gestão, o recurso já faz parte do cotidiano da empresa. 

E neste período, no qual todos os fechamentos contábeis do ano anterior já foram finalizados, as companhias voltam seu foco para a elaboração deste relatório. Afinal, o documento demonstra com clareza para onde o dinheiro está indo e ajuda a ditar os rumos da empresa com mais segurança.

Continue a leitura e entenda mais sobre o BP e a importância deste relatório para a gestão, bem como de que forma um software para planejamento estratégico pode facilitar a consolidação dessas informações.

 

O que é o balanço patrimonial?

Também conhecido como balanço contábil, o BP é um relatório financeiro no qual deve constar a real situação econômica de uma organização. Normalmente elaborado a cada 12 meses, é por meio deste relatório que os gestores conseguem mensurar gastos, investimentos, recursos e bens da empresa no período estipulado no planejamento orçamentário.

Em outras palavras, a partir deste balanço é possível desenvolver um planejamento estratégico para a instituição. Ou seja, traçar metas realistas, reduzir custos e administrar riscos, entre outros.

Uma empresa que não elabora o balanço patrimonial pode sofrer inúmeras sanções administrativas, como não poder participar de licitações públicas, nem requerer recuperação judicial, por exemplo. 

 

O que deve conter no balanço patrimonial?

Apesar de se tratar de um relatório contábil, o documento deve ter um formato resumido e de fácil compreensão. A estrutura está definida na Lei das S.As (Lei 6.404/76), que determina que o documento é dividido em três partes, cada uma contendo contas específicas dentro da peça contábil:

 

Ativo

Composto de todos os bens, direitos e demais aplicações que podem gerar rendimentos futuros para a empresa. Na prática, são os investimentos que o negócio realiza para obter lucro.

 

Passivo

Diz respeito à todas as obrigações da empresa com terceiros, como contas de fornecedores, empréstimos e financiamentos, por exemplo. Portanto, trata-se de eventos que já aconteceram e exigem a liquidação por meio do ativo.

 

Patrimônio líquido

Compreende os recursos próprios da empresa. Efetivamente, é o que a empresa tem em caixa. Ou seja, seu valor é a diferença positiva entre o ativo e o passivo. Para fazer o cálculo, basta utilizar a seguinte equação: Patrimônio líquido = Ativo - Passivo.

Portanto, o balanço patrimonial de uma empresa é feito a partir da reunião de todos os lançamentos contábeis constantes no livro diário da empresa. 

Contudo, devido à complexidade técnica que sua elaboração exige, os dados apresentados devem ser acurados e sem possibilidade de falhas ou erros contábeis. Por esse motivo, muitas empresas acabam terceirizando o serviço. Mas isso pode ser evitado, conforme explicaremos a seguir.

 

Como um software pode facilitar a consolidação do BP

A elaboração do balanço patrimonial precisa de atenção redobrada na hora de preencher os dados, pois todos os itens devem estar com seus valores corretamente especificados. No caso de planilhas, por exemplo, basta uma vírgula digitada na casa decimal errada para gerar um grande prejuízo.

É aí que surge a tecnologia que trouxe avanços para a controladoria como um todo. Assim, o uso de ferramentas que automatizam o processo orçamentário proporciona um balanço projetado muito mais rápido, seguro e eficiente. 

Afinal, as informações são lançadas no sistema regularmente, aumentando a assertividade da gestão orçamentária. E então, com a parametrização de dados existentes, é possível acompanhar o balanço patrimonial durante a evolução do planejamento, visualizando as operações de débito e crédito.

Logo, utilizando uma ferramenta que otimiza o processo, além de elaborar o BP do seu negócio de maneira mais efetiva, o resultado obtido será muito mais preciso, eliminando erros de planilhas. Para isso, há ferramentas que automatizam o processo orçamentário e proporcionam um balanço projetado muito mais rápido, seguro e eficiente. 

Se a sua empresa ainda utiliza planilhas, leia o artigo Será que é hora de aposentar as planilhas? e considere adotar outros meios de controle para resguardar a saúde financeira do negócio. 

Leia Também

Projeção de custos fixos e variáveis:  4 vantagens em automatizar o processo

09/11/2021

Projeção de custos fixos e variáveis: 4 vantagens em automatizar o processo

Os valores fixos são levantados mais facilmente, visto que os gastos são essenciais para a execução das atividades e previstos com mais clareza; e os custos variáveis das operações são mais desafiadores, pois geralmente são relacionados ao volume de vendas. [Leia mais]

Planejamento orçamentário: 4 metodologias para aplicar em 2022

26/10/2021

Planejamento orçamentário: 4 metodologias para aplicar em 2022

O planejamento orçamentário é determinante para o futuro das empresas que, com a chegada do fim do ano, utilizam esse período para organizar os próximos passos. [Leia mais]

A importância dos relatórios gerenciais para empresas de capital aberto

05/10/2021

A importância dos relatórios gerenciais para empresas de capital aberto

Todas as empresas de capital aberto devem apresentar relatórios gerenciais em períodos trimestral e anual. Essa exigência torna os resultados mais transparentes e acessíveis, além de prevenir ações fraudulentas na bolsa. [Leia mais]

Sobre a Allstrategy

A AllStrategy possui uma vasta experiência em transformar a gestão orçamentária de diversas empresas. No blog, reunimos o melhor conteúdo, com artigos exclusivos, que farão parte do seu dia a dia.