Governança corporativa: Saiba como a tecnologia pode ajudar nessa tarefa.

É claro que você já ouviu falar sobre governança corporativa. Essa prática é um dos pilares da economia global e um dos requisitos básicos para que investidores escolham determinadas empresas.

Segundo o IBGC: “Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas”.

Em outros termos, podemos afirmar que governança corporativa nada mais é do que um conjunto de boas práticas para aumentar a confiança dos acionistas perante aos administradores de uma empresa.  Por meio de princípios como a transparência e de mecanismos que proporcionem um melhor desempenho econômico, muitas instituições estão mudando a forma de gerir e controlar o seu negócio.

Governança colaborativa

O conceito de governança corporativa surgiu nos Estados Unidos, ganhou força pelo mundo todo até chegar ao Brasil, onde é possível observar um número cada vez maior de empresas adeptas a essa prática. Porém, não vamos nos alongar sobre o que é, mas sim como aplicar tal conduta na sua empresa por meio de ferramentas digitais.

 

Planejamento orçamentário

Já que um dos maiores objetivos da governança corporativa é conquistar a confiança dos acionistas por meio de uma gestão transparente e eficiente, um bom recurso é o planejamento orçamentário.

Por meio dele, é possível discriminar todas as despesas que a empresa irá ter ao longo do ano, assim como todos os investimentos previstos para o mesmo período. Ali, o orçamento de unidades, centro de custos e projetos ficam visíveis a gestores e acionistas, possibilitando assim realizar a projeção de fluxo de caixa com todos os encargos, variações inflacionárias, alta ou queda do dólar, assim como outros fatores que podem impactar nas finanças.

Governança colaborativa

É importante também realizar um planejamento de RH, para projetar as contratações e demissões, assim como todas as despesas comuns ao setor, mas que muitas vezes passam desapercebidas por ser um pequeno acréscimo no mês, mas que se somado aos meses subsequentes e ao número de colaboradores, pode desestruturar o caixa da empresa.

 

Tenha a análise de performance como aliada

Depois que todas as despesas estiverem discriminadas e projetadas ao longo do período, é preciso começar a realizar a análise de performance do planejado x realizado. Não adianta planejar e depois não acompanhar os resultados de perto.

Para que os gestores não se percam em meio a tantos dados e informações, é preciso que os mesmos definam os indicadores de desempenho, para que por meio deles, os acionistas e administradores possam mensurar a evolução das unidades e centros de custos.

Governança colaborativa

Com base nos dados mais relevantes, que indicam o desempenho da instituição, os gestores se sentem mais seguros para tomar decisões e até mesmo, realizar ajustes no orçamento para que nada saia do que foi programado.

 

Aplicativos de gestão orçamentária podem ajudar nessa tarefa

Com o aumento dos investimentos em tecnologia, é preciso estar atento às ferramentas disponíveis no mercado e assim, tirar o maior proveito delas possível.

Atualmente, empresas especialistas em desenvolvimento de softwares e aplicativos de gestão orçamentária estão inovando cada vez mais em soluções para empresas que desejam realizar o planejamento financeiro e análise de performance, por meio de relatórios e gráficos customizáveis.

Governança colaborativa

Além disso, a segurança no manuseio de dados fica muito maior, já que nesses aplicativos, é possível determinar quais usuários tem acesso à determinadas informações e todas as operações realizadas dentro do software, ficam registradas.

Portanto, com um aplicativo de gestão orçamentária e performance, é possível realizar a governança corporativa na empresa, por meio de uma maior transparência no compartilhamento de dados, eficiência na gestão empresarial e visibilidade de informações. Com isso, a confiabilidade por parte dos acionistas cresce e a empresa consegue atingir resultados positivos.

 

Se você gostou desse artigo, compartilhe nas suas redes sociais. Deixe seu comentário abaixo.